A importância da vivência nos torneios na formação dos tenistas

Quantas vezes presenciamos situações em que crianças, adolescentes e até mesmo adultos que praticam um esporte, ao se depararem com um torneio, demonstram desconforto em participar, ocasionando até mesmo a sua desistência? Claro que isso ocorre, independentemente da modalidade esportiva — e, nos esportes individuais, como o tênis, isso não é diferente.

O esporte expõe as pessoas. Quando entra em quadra, ainda mais em uma competição, o indivíduo demonstra sua personalidade, suas crenças, o modo como lida com os desafios, com o perder e o ganhar, as pressões que se coloca e o modo como lida com suas expectativas e com as dos outros. O desempenho em quadra está diretamente ligado a essa engrenagem do “atleta-ser humano”.

Através do comportamento do tenista em quadra, compreendemos um pouco da sua visão de mundo e de como ele se coloca neste mundo. Esta percepção em relação ao atleta e, sobretudo, o trabalho realizado com ele a partir deste cenário encantam pelas oportunidades potenciais a serem desenvolvidas.

Os torneios vivenciados ao longo da prática esportiva tornam-se ferramentas importantes não apenas para o trabalho de formação do tenista, mas também para treinadores e equipe técnica multidisciplinar. Para os atletas, um belo exercício de autopercepção, autoconhecimento, reflexão e evolução. Para treinadores, uma forma de proporcionar aprimoramento técnico e tático, bem como de trabalhar outras habilidades fundamentais no tênis. Para a equipe técnica multidisciplinar, composta por psicólogo, preparador físico, fisioterapeuta, entre outros profissionais, se configura como uma possibilidade de melhor trabalhar aspectos de corpo e mente, auxiliando em processos de mudanças cognitivas e adaptações a partir de um maior entendimento corporal, propiciando ferramentas para um adequado desempenho.

Outro ponto fundamental sobre a participação dos tenistas em torneios é a presença e atuação dos pais. Nessas ocasiões, é possível entender muito, não apenas sobre a estrutura familiar, mas principalmente sobre como o tenista se relaciona com ela. As crenças formadas por crianças e adolescentes estão diretamente vinculadas às vivências familiares que os constituíram. É muito importante que os próprios pais entendam a sua importância no processo de formação do filho enquanto esportista; precisam estar atentos à sua postura e ao que ela gera como consequência no desempenho do filho. Em um torneio, estas questões emergem e se torna interessantíssimo olhar atentamente para os diferentes processos estabelecidos.

Ao longo da vida do atleta, existem várias etapas e cada uma possui um desafio a ser alcançado. O modo adequado como cada criança ou adolescente passa por essas fases é o que vai proporcionar o amadurecimento saudável, tanto no aspecto corporal quanto no aspecto psicossocial. Assim, pais, treinadores e outros profissionais, bem como o contexto social em que o tenista está inserido, possuem uma importância ímpar para o bem-estar e para a saúde física e mental do “atleta-ser humano”.

É preciso termos cuidado com a exigência proposta em cada etapa do processo de formação do tenista. Cada fase do desenvolvimento infantil e adolescente requer que os desafios sejam compatíveis com os limites que o pequeno atleta possa atingir de forma global. É fundamental que o “olhar” sobre o que é um torneio e sobre qual é a importância de participar dele seja organizado de modo saudável para todos que cercam o atleta. Se a competição for sentida como algo ruim, temida por algum dos membros do contexto deste tenista, será assim sentida por ele também. Quanto mais conscientes todos estiverem sobre a importância do torneio e quanto maior for a reflexão e o trabalho sobre os receios existentes, mais exercitada será a visão de que esta atividade simplesmente é um exercício dentro de um processo evolutivo.

Em resumo, as competições são saudáveis e necessárias, pois ajudam a elaborar e a reforçar valores de vida, a conhecer e a reconhecer limites, bem como a ultrapassá-los. Os Torneios Multichance – TMCs estão aí para proporcionar este crescimento. Que venham novos desafios, que venham novos olhares cada vez mais conscientes do que pode ser aprimorado através desta rica ferramenta de desenvolvimento!

Posted in Geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *