Tênis é um esporte incompleto?

O tênis é um esporte incompleto, que desenvolve apenas os braços!” É possível que essa afirmação seja ou já tenha sido uma verdade para você, e com certeza é uma crença de muitos que desconhecem o esporte, e até mesmo de alguns tenistas menos atentos às características do jogo. Isso até faz sentido se analisarmos isoladamente apenas as muitas rebatidas que um tenista faz durante uma partida.

Entretanto, não podemos nos esquecer que, antes de rebater a bola, o tenista precisa perceber aonde a bola está indo, tomar uma decisão sobre o que irá fazer, se movimentar até o local da rebatida e organizar seu corpo. Após rebater, ele precisa analisar o resultado de seu golpe e se reposicionar na quadra para que logo em seguida recomece todo o processo novamente, três, quatro vezes por ponto, totalizando cerca de 500 idas e vindas em uma partida.

Ufa! Não à toa, o tênis é considerado uma das modalidades mais completas que há, exigindo e desenvolvendo não só a habilidade de rebater como também a coordenação motora, a força, a velocidade, a concentração, a capacidade de decisão, a capacidade estratégica, o ritmo, a rapidez e muito, muito mais! Você também pode jogar.

  •  Para deixar mais claro o que estamos falando, você sabia que a partida mais longa da história do tênis teve a duração de 11 horas e 5 minutos? Esse jogo, disputado ao longo de três dias, aconteceu no torneio de Wimbledon, em 2010. A vitória foi de John Isner sobre Nicolas Mahut. Haja força física e mental para suportar essa batalha! Em contrapartida a esta maratona, o jogo mais rápido durou apenas 23 minutos. O torneio de Wimbledon mais uma vez foi a casa desse recorde, em 1922, durante a final feminina entre Suzanne Lenglen (vencedora) e Molla Mallory.
  • Olhando outro aspecto do jogo, o saque, conseguimos perceber mais uma habilidade intrínseca ao tênis. Entre as mulheres, o saque mais rápido chegou a 210 km/h, responsabilidade da alemã Sabine Lisicki. Entre os homens, o número é ainda mais assustador, o australiano Sam Groth, em 2012, conseguiu a incrível marca de 263 km/h, durante um torneio da série Challenger na Coreia do Sul. Para se conseguir saques tão velozes, é necessário muita coordenação e velocidade, pois, ao contrário do que muitos pensam, as pernas são fundamentais para a potência do saque.
  • Por falar nisso, outra curiosidade é a distância percorrida pelos tenistas durante uma partida. Durante o Austrália Open de 2015, o espanhol Rafael Nadal percorreu uma média de 3 km por jogo, número não tão distante de outro espanhol, David Ferrer, que percorreu uma média de 4 km. O contraste fica por conta do sérvio Novak Djokovic, atual número um do mundo, que percorreu a média de apenas 1,5 km por partida. Essas diferenças se devem ao fato de os jogadores possuírem estilos de jogo diferentes; Nadal e Ferrer jogam de forma menos agressiva e se posicionam mais longe da linha de fundo da quadra, se comparados com Djokovic.

]Poderíamos descrever outros curiosos casos que mostram a complexidade física do jogo do tênis, porém nem sempre o jogador mais rápido e com melhores golpes ganha o jogo. É possível compensar possíveis deficiências técnicas com inteligência tática, persistência, coragem e outras qualidades, sejam mentais ou técnicas. Tão importante quanto ser um atleta exterior (físico) é ser um bom atleta interior (psicológico), ainda mais no tênis profissional moderno.

Analisando os dez melhores do ranking, por exemplo, é difícil identificar um ponto fraco. Você até pode encontrar pontos a melhorar, porém dificilmente encontrará “buracos” em seu jogo. Avaliando o ranking dos jogadores profissionais, observamos que eles também estão cada vez mais rápidos, consistentes e completos.

Sim, jogar tênis, em qualquer nível, te garante a necessidade de desenvolver muitas qualidades físicas, e só por isso o tênis já seria sensacional, porém a verdade é que, muitas vezes, talvez na maioria delas, os jogos não são decididos pelas qualidades físicas dos tenistas, mas sim pelas boas decisões e pela coragem de se fazer a coisa certa nos momentos mais difíceis.

*Alunos em torneio na unidade Tênis+ DS TENNIS

Será que ainda está achando que tênis é bom apenas para os braços? Jogar tênis é excelente para o corpo e para mente e, o mais legal, pode ser jogado dos 4 aos 100 anos.

Vamos jogar?

Posted in Curiosidades, Sobre o Tênis and tagged .

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *