Suplementos: as crianças podem usar?

A prática de exercícios físicos regulares tem sido bastante evidenciada como uma ótima estratégia para a manutenção da saúde e para a prevenção de doenças, desde a infância até a senilidade. Quando o assunto são os pequenos, apesar dos números crescentes de crianças com excesso de peso ou obesidade, sua participação em esportes e exercícios regulares também aumenta. Hoje é comum encontrar crianças envolvidas em atividades que vão desde o treinamento físico até a competição atlética.
E fica a dúvida: crianças fisicamente ativas têm necessidade de utilizar suplementos alimentares? Antes de mais nada, é importante que os pais saibam que a literatura sugere que o período máximo de treinamento físico infantil deve compreender de 15 a 18 horas por semana, para que sejam evitados quaisquer comprometimentos no crescimento do indivíduo.

Sobre a suplementação esportiva, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é bem clara quanto ao público a que se direciona esse tipo de produtos: os atletas! E quem são os atletas? São pessoas que praticam exercícios físicos com especialização e desempenho máximos com o objetivo de participar em esporte com esforço muscular intenso. Os suplementos servem para auxiliá-los a atender suas necessidades específicas e auxiliar no desempenho do exercício

Ou seja: uma criança fisicamente ativa, não atleta, provavelmente não precisará de nenhum tipo de suplementação esportiva, pois uma dieta balanceada e diversificada já é suficiente para atender às suas necessidades!
Para crianças atletas, a alimentação e a hidratação precisam ser mais bem acompanhadas e controladas, até porque os pequenos são um importante grupo de risco para a desidratação. As crianças apresentam um sistema termorregulatório menos eficiente, menos água corporal total e mecanismo da sede inferior, quando comparadas a adultos. Sendo assim, os pequenos atletas podem acabar precisando de reposição hidroeletrolítica, principalmente aqueles que praticam esportes de mais longa duração e que residem (e treinam) em locais de clima tropical, como o Brasil.

Isso se deve ao fato de que indivíduos que participam de programas esportivos em regiões de clima tropical podem desenvolver hipertermia e um estado crônico de desidratação se não houver reposição hídrica adequada! E prevenir tal situação nos nossos pimpolhos é infinitamente melhor do que remediar, certo? Tudo é uma questão de avaliar cada caso, separadamente!
Para os pais que se pegaram preocupados com essas informações, não se preocupem! Criança fisicamente ativa é criança saudável! Por isso, incentivem seus filhos a praticarem esportes e a brincarem. Essa fase da vida é maravilhosa e deve ser bem aproveitada.
Apenas lembrem-se que elas também precisam de um bom e responsável acompanhamento nutricional para se manterem com bem-estar, crescendo e se desenvolvendo em sua integralidade! E se divertindo, é claro — afinal, elas são crianças e precisam disso!

Fonte das fotos: RefJur e Getty Images.

 

Posted in Nutrição, Para os Pais, Treinamento and tagged , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *