Quem joga tênis aprende a… Aceitar seus erros

Tênis é um esporte que requer habilidades técnicas muito específicas; não é à toa que tenistas passam milhares de horas dentro da quadra, corrigindo e aperfeiçoando seus golpes. Mas certamente você já ouviu por aí: tênis é um jogo muito mental. De fato, na grande maioria das vezes, o fator mental é decisivo no tênis: principalmente entre jogadores mais avançados, as características mentais e emocionais de cada um são fatores mais determinantes ao resultado de uma partida do que eventuais diferenças técnicas.
Por conta desta crucial importância do aspecto mental, é necessário que todo tenista trabalhe em sua cabeça questões que, além de ajudá-­lo a melhorar seus resultados nas competições, irão acompanhá-lo para fora das quadras e do esporte, formando sua personalidade, seu caráter e sua postura frente aos desafios da vida.
Hoje inicio a publicação da série de artigos “Quem joga tênis aprende a …”, em que irei abordar algumas destas questões mentais. É importante ressaltar que tudo o que será discutido por aqui somente vem à tona quando o tenista participa de competições (mesmo as crianças nas fases de iniciação); quem somente faz aulas e não participa de torneios, perde a oportunidade de entrar em contato com aquilo de mais valioso que o tênis tem para nos oferecer: a força e o equilíbrio mental.
Portanto, é saudável que as crianças participem de competições -desde os primeiros estágios de sua iniciação ao esporte ­ainda mais nos dias de hoje-, em que contamos com material adaptado às diversas fases de aprendizado infantil, como bolas maiores e mais lentas, quadras menores, etc.

Todos nós já vimos alguma vez um tenista possuído pela raiva, estraçalhando sua raquete no chão. Acontece com quase todos que jogam tênis, sejam crianças ou adultos: às vezes a frustração por cometer erros é quase insuportável. E sobram xingamentos, gritos e atitudes que revelam descontrole mental e emocional. Mas acontece que o erro é um elemento muito presente no tênis, tão esperado que até faz parte das estatísticas das partidas oficiais. Mesmo os melhores tenistas do mundo cometem diversos erros durante seus jogos.
Conforme o tenista vai amadurecendo, ele começa a digerir melhor o tão batido ditado: errar é humano. A criança que começa a se cobrar muito por ter cometido algum erro precisa entender que está entrando num terreno perigoso: as cobranças se acumulam, desestabilizam e prejudicam sua autoconfiança.
Para manter o equilíbrio emocional durante as partidas, é fundamental que o tenista saiba aceitar seus erros ­inclusive aceitar o erro de não ter aceitado um erro anterior!

Ele entende que o tênis é um esporte que muitas vezes nos oferece uma outra chance. E não se abala por não apresentar um desempenho absolutamente perfeito (­que existe apenas nas expectativas dos mais inexperientes e imaturos).
Portanto, as competições de tênis podem ser uma ótima oportunidade para as crianças trabalharem seu equilíbrio emocional: os jogos oferecem às crianças a possibilidade de enxergar seus próprios erros com olhos menos críticos e severos ­(ferramenta de grande valia tanto dentro quanto fora das quadras).

Posted in Lições do Tênis, Sobre o Tênis and tagged .

5 Comments

  1. O tenista entra na quadra para fazer duas coisas: olhar para a bola e posicionar-se para executar o melhor golpe possível (saque, devolução, golpes de fundo, voleio e smash). Para isto é necessário usar quatro coisas: olho, mente, pés e mãos (raquete).
    É através dos olhos que a mente recebe todas as informações sobre a bola que vem na sua direção.
    O tênis é um jogo mental, porque seus olhos leem a jogada do oponente, passa as informações para a mente, e ela manda os músculos executarem o melhor golpe possível.
    Depois que você olha para a bola e a mente recebe as informações, a mente diz para os músculos: movimenta os pés, se posiciona e executa o melhor golpe possível.
    Tenho muito mais coisas sobre o tênis Mental, se lhe interessar….

  2. Na atualidade, açoes e informaçoes Sao disparadas freneticamente, por meio disto muita das vezes usamos o SIM deliberadamente aos pedidos das crianças, omitindo muita das vezes a importancia do NAO Como fonte de aprendizado e fazer com que elas pensem e repensem sobre alguns acontecimentos so seu red or. O tenis por sua vez estimula muito este fator de Como reagir em seguida de um Nao “erro no jogo”, entendendo que a derrota fara sempre parte do jogo e assim estimula-Los a tirar prove to tambem nessas situaçoes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *