Qual é a pressa?

As etapas de formação de crianças tenistas: 5 motivos para segui-las

Olá, caros leitores! Nesta coluna, trataremos de um tema que é muito presente nas conversas entre pais de tenistas e treinadores, e que causa seguidas dúvidas em grande parte desses pais — muitas vezes, até nos próprios professores ou treinadores de iniciação e formação de tenistas. O tema é: por que devemos seguir as etapas de formação dos tenistas?

A formação de um jogador de tênis é um processo complexo e de longo prazo. Cada fase de desenvolvimento físico e psicológico deve ser respeitada e bem aproveitada, permitindo que os critérios técnico-táticos, físicos e cognitivos básicos da formação de um tenista possam ser bem aprendidos. Dessa forma, os jovens aprendizes têm maiores chances de atingir o máximo de suas possibilidades futuras no esporte.

Porém, muitas vezes, mesmo com a melhor das intenções, alguns adultos participantes da vida tenística da criança podem acabar “queimando” alguma das etapas primordiais para o processo de formação do tenista. A situação mais comum é a crítica com relação aos materiais (tipos de bola, espaços de quadra, minirrede) utilizados nas aulas para crianças e sua relação com o nível de tênis do aluno. Por puro desconhecimento, ou talvez por uma ansiedade em ver seu pequeno tenista jogando o “full tennis” (jogo oficial, como jogado no nível profissional), muitos pais acabam não aceitando tão bem a proposta do ensino do tênis para crianças realizado conforme um planejamento de ensino progressivo.

Essa proposta pedagógica, utilizada pela Tênis+, bem como nas principais nações do mundo do tênis (França, Bélgica, Canadá, Austrália, Suíça, Grã-Bretanha, etc.), consiste em níveis de desenvolvimento que possuem materiais e conteúdos de ensino específicos, além de avaliações periódicas. A cada nível vencido pelo aluno, importantes habilidades e conhecimentos esportivos são aprendidos, de forma que, ao final do processo, o que se busca é que o aluno seja o mais completo possível. Como exemplo, podemos citar as escolas de judô (em que cada faixa corresponde a um nível) e de outras artes marciais, assim como as escolas de inglês (beginning, intermediate, etc.) ou de outras línguas, que utilizam propostas de ensino semelhantes.

No tênis, são vários os benefícios que um ensino progressivo pode trazer aos tenistas em formação. Aqui, destacamos cinco desses benefícios, que são também ótimos motivos para seguir as etapas de desenvolvimento:

  1. Desenvolvimento motor completo (physical literacy ou competência motora): benefício físico.

  2. Desenvolvimento de técnicas corretas: benefício técnico.

  3. Desenvolvimento de all-court game (jogador completo): benefício tático.

  4. Metas claras: benefício psicológico.

  5. Nível de jogo mais próximo do alto rendimento (tênis bem jogado).

 

Na próxima série de textos, falaremos mais detalhadamente sobre cada um desses cinco motivos para seguir as etapas de ensino do tênis para crianças. Com isso, buscaremos ajudar a elucidar por que devemos respeitar e seguir essas etapas, sem pressa, com perícia e responsabilidade.

Muito obrigado pela atenção e até os próximos textos. Não percam!

                         

Créditos das fotos: Tofu Fotos

 

Posted in Sobre o Tênis, Treinamento.

One Comment

  1. Pingback: Qual é a pressa? | Futebol Pensado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *