Qual é a pressa? (parte 6)

Nível de jogo mais próximo do alto rendimento (tênis bem jogado)

Olá, pessoal! Neste texto, que finaliza a nossa série “Qual é a pressa?”, vamos falar um pouco sobre o quanto as adaptações de materiais e o respeito às etapas dentro de um ensino progressivo podem levar os jovens tenistas a jogarem tênis em um nível muito próximo do que vemos no alto rendimento, desde muito cedo.

Algo que se pode escutar muito, principalmente de pais mais ansiosos que creem que seu filho deve jogar logo o Full Tennis, é: “Meu filho já consegue jogar na quadra toda, com a bola normal ou verde”. Bom, há de se comentar que o fato de ele conseguir não quer dizer que ele deva jogar o Full Tennis, queimando etapas. Isso porque não basta “conseguir” jogar: é preciso jogar bem, com bom controle motor e coordenativo (1); com técnicas corretas (2); com táticas avançadas de um all-court player (3); e com a compreensão do jogo, o envolvimento e a motivação de quem tem metas claras de desempenho e sabe aonde quer chegar (4). Se seu filho tem entre 7 e 10 anos e não domina as habilidades acima descritas de maneira satisfatória, posso dizer com total certeza: ele não está pronto para o Full Tennis. Pelo menos, não se quisermos que ele alcance o máximo das suas potencialidades no esporte.

Precisamos ter em mente que as competências desenvolvidas e adquiridas na fase de iniciação e formação dos jovens tenistas irão servir de base para a aquisição de novas e mais avançadas habilidades específicas quando as crianças forem mais velhas. Se pularmos etapas, usando espaços de quadra, bolinhas, raquetes e atividades além da realidade física e cognitiva dos pequenos, estaremos diminuindo as suas chances de sucesso futuro no esporte.

Afinal de contas, o conceito de ensino progressivo do tênis e os conteúdos a ele relacionados foram desenvolvidos por estudiosos da área (ITF e principais nações do tênis mundial) e têm como objetivo formar mais e melhores jogadores e entusiastas do tênis. Isso através da utilização de materiais e objetivos adaptados a cada idade e nível de jogo, garantindo que eles possam se desenvolver jogando pontos como as meninas do vídeo abaixo.

Então, o que acharam? Não parece que as meninas de 8 anos na quadra e bola vermelhas jogam pontos com várias semelhanças se comparadas com as profissionais? Esse nível de jogo para crianças só é possível com as condições adequadas para tal.

E o fato de, desde cedo, os jovens tenistas adquirirem competências para jogar um bom nível de tênis vai, com certeza, influenciar numa maior facilidade de aprender técnicas e táticas mais avançadas, quando eles estiverem no nível pré-competitivo e competitivo. Isso pois os estímulos adequados recebidos em tenra idade garantirão um repertório motor e cognitivo muito mais completo e voltado para o tênis bem jogado.

Bom, pessoal, é com pesar e ao mesmo tempo com alegria que encerramos aqui a nossa série de textos “Qual é a pressa?”. Pesar por estar terminando, mas alegria por saber que conseguimos trazer informações e opiniões que podem ajudar nossos leitores que têm algo em comum: um jovem tenista em suas vidas! Muito obrigado mais uma vez pelo prestígio da sua leitura, e até breve!

Posted in Geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *