Esperança para formação de tenistas no Brasil

Ao olharmos o histórico brasileiro de formação de tenistas, sobretudo nas categorias femininas, é possível observar um grande déficit de resultados. Ao tomarmos como exemplo o último Banana Bowl, um dos principais torneios juvenis do mundo, na categoria 18 anos, de todas as 12 brasileiras que iniciaram o torneio, 10 perderam na primeira rodada e as outras duas perderam já na segunda partida.

Mas até aí, qual é a novidade? Alguns podem se perguntar.

A novidade deste texto é referente à escola francesa de tênis que vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil e já apresenta resultados grandiosos em muito pouco tempo de trabalho.
Conheça a história da tenista Nalanda Teixeira, tenista vice-campeã de simples e duplas da categoria 14 anos do Banana Bowl formada pelo projeto social “Quadra de Talentos”, na pequena cidade de Minaçu-GO; e de Laurent Philippe, treinador francês responsável pela formação de Nalanda e pela metodologia pedagógica do Tênis+, um sistema de ensino utilizado em diversas escolas de tênis no Brasil.

Laurent Philippe,

Tênis+: Laurent, nos conte um pouco sobre sua história no tênis francês e a decisão de nos ajudar no desenvolvimento da modalidade no Brasil.

Laurent Philippe: Após a graduação recebi o convite da Federação Francesa de Tênis para me tornar um capacitador e treinador da elite esportiva francesa até 14 anos. Com muito amor pelo tênis e a partir do meu conhecimento e formação, consegui observar alguns pontos que acreditava serem essenciais para tornar a modalidade do tênis maior no Brasil: fazendo com que mais crianças joguem da melhor maneira possível e não apenas como uma atividade recreativa.

T+: Comente um pouco sobre a escolha da mudança para Minaçu-Go e também sobre a realidade do projeto social Quadra de Talentos.
L: Eu havia acabado de chegar ao Brasil e tinha certo receio de começar a trabalhar aqui e morar na capital, além de acabar de deixar Paris e todos os transtornos urbanos da cidade. Assim, confesso meu desejo pessoal por um lugar mais calmo. Já o projeto social de Minaçu desde o início recebeu vários apoios consistentes, sejam eles humanos, financeiros ou materiais. Na cidade encontrei pessoas que entendiam de tênis e, em nível pessoal, era muito interessante voltar a trabalhar com os tênis infantil e social. As crianças são o futuro do tênis e o sonho para elas não está nada distante.

Nalanda Teixeira

T+: Nalanda, comente sobre o seu início no esporte. O que te levou a começar a jogar tênis? Como foi essa experiência inicial?
Nalanda Teixeira: Uma amiga me convidou para uma aula de tênis e a experiência inicial foi muito boa, desde o início eu gostei de jogar e fiz vários amigos.

T+: Laurent, falando sobre a Nalanda, como foi o processo de identificá-la como uma potencial tenista? Quais são as principais qualidades observadas na atleta?
L: O processo de detecção da Nalanda ocorreu no contexto da metodologia francesa, que está aplicado tanto no Tênis+ quanto no projeto social de Minaçu-GO, em que temos os testes de bola, avaliações teóricas, técnicas, físicas, táticas e comportamentais do aluno. Ela obteve através desses testes excelentes resultados, mesmo com pouco tempo de prática. Além das competições regulares que fazem parte do programa de ensino, outros aspectos positivos foram suas vitórias e o diferencial frente a outras meninas da mesma idade e com mais experiência na modalidade. Nalanda se destacou por suas qualidades de coordenação, principalmente a motora. Além disso, ritmo, força, rapidez, domínio emocional e capacidade de concentração são características marcantes da atleta.

T+: Nalanda, quais são os principais aprendizados que teve em sua carreira de tenista até o momento?
N: Determinação, dedicação, espírito de luta e profissionalismo.

T+: Nalanda, quais são seus planos a partir de agora?
N: Fortalecer meus treinos, jogar grandes torneios e tentar ser profissional

T+: Laurent, comparando a realidade do tênis brasileiro com francês, quais são os principais desafios que enfrentamos?
L: Para o Brasil se tornar melhor, não se trata apenas de estrutura, mas é necessário a liderança e a coordenação de estratégias. Na França, essa função é desempenhada pela Federação Francesa de Tênis, que tornou a modalidade exemplar para o desenvolvimento das crianças, desse modo o esporte conseguiu atingir várias camadas.
T+: Nalanda, para finalizar, deixe um recado para as crianças que estão começando a jogar tênis.
N: Através do tênis você vai ter várias oportunidades, como de viajar, fazer amigos, conhecer várias pessoas… e, principalmente, é muito divertido jogar tênis!

T+: Laurent, para finalizar, deixe um recado para os pais dos tenistas.
L: Os pais são a base de tudo. É deles a decisão e responsabilidade de possibilitar o acesso dos filhos ao tênis. O tênis é a modalidade esportiva que trabalha o caráter e a personalidade, essenciais para qualquer profissão ou indivíduo. O objetivo dos pais e da escola deve ser primordialmente a contribuição do esporte para a personalidade e educação da criança, antes da ideia de treinar o filho para ser um campeão. 

Posted in Tênis+ em Destaque and tagged .

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *