Entrevista com Rafael Brito Prates, da In Tennis – Diferencial do tênis na formação das crianças

A In Tennis é uma academia de tênis que foi inaugurada em 2016 pelo Rafael Brito Prates, que tinha o sonho de transformar a vida de outras pessoas através do tênis. A escola se localiza em Anápolis-GO e conta com uma estrutura diferenciada para receber os alunos. Nesta entrevista, conversamos com o Rafael, que nos contou um pouco sobre a história da In Tennis e sobre a importância desse esporte no desenvolvimento das crianças.

Olá, Rafael, muito bom fazer essa entrevista com você. Conta pra gente um pouco da história de vocês na In Tennis e de como tudo começou.

Boa tarde, é um prazer para nós da In Tennis estar dando essa entrevista também. Vamos falar um pouquinho sobre a história da academia. A academia começou com uma ideia que eu tive há algum tempo — há muito tempo, na verdade. Eu pensei em ter uma academia de tênis que realizasse a prática do esporte de uma forma bem profissional. E em determinado momento tive o prazer de conhecer meus sócios, que são o Gabriel Faria e o Marcos Salvo Jr., num curso que a gente fez pela Trans-Faire — o curso de minitênis, de 3 a 6 anos. Então, nesse curso, nós três nos identificamos e surgiu a vontade de trabalharmos junto num projeto que atendesse a crianças. Bom, mas a In Tennis ainda não nasceu aí nesse encontro. Ela surgiu depois.

Eu dava aula de tênis em Anápolis e comecei a sentir a necessidade de ter uma academia, um espaço organizado, e aí comecei a buscar uma forma de concretizar esse sonho. E então lancei o projeto da In Tennis, que, hoje, em Anápolis, é a primeira e a única academia de tênis com uma estrutura de quadras cobertas e com ensino profissional de tênis, de uma forma bem profissional mesmo. Então, depois que eu montei o projeto, eu convidei o Gabriel para fazer parte também. Ele topou na hora, achou muito boa a ideia, gostou bastante, principalmente por ter as quadras cobertas, que é algo novo na cidade, ninguém tinha pensado em criar uma academia nesse molde. E, depois do projeto lançado, com lançamento no Facebook e tal, o Marcos viu lá de São Paulo — ele estava em São Paulo nessa época — e nos procurou, tinha interesse em vir para cá, sair de lá, largar a carreira e tudo o mais, e vir para cá para apostar nesse projeto. Ele via muito futuro nesse projeto, e graças a Deus ele acertou até agora, a gente está indo muito bem e estamos aí, com a academia, com muito aluno, graças a Deus, e com todo o suporte que a Tênis+ nos proporcionou para chegar nesse ponto.

A Tênis+ realmente foi uma grande parceira, nos ajudou a concretizar esse sonho de criar a nossa academia e estamos seguindo em frente, tentando vencer as dificuldades, mas com um sucesso já bem grande até agora. A nossa academia é uma academia nova ainda, não tem nem um ano, mas graças a Deus estamos com uma procura muito boa. Então é isso aí, essa é a história resumida da academia In Tennis.
 

Vocês atuam em Anápolis. Como vocês enxergam a realidade do tênis numa cidade como essa, que fica entre duas capitais? Como são os circuitos e torneios (dificuldades, facilidades)?

Anápolis é uma cidade nova, não é uma cidade muito antiga e sua localização não favoreceu muito o desenvolvimento da cidade. Porém, em um curto período de tempo, Anápolis teve um crescimento muito grande, com a instalação de grandes empresas aqui na cidade. Muitas pessoas vieram para cá, de várias partes do país, para trabalhar em Anápolis. Então Anápolis tem uma vantagem com relação à prática do esporte: muitas pessoas conhecem o esporte, não é um esporte desconhecido. É uma cidade bem localizada, está entre duas capitais — a capital do país e a capital do estado de Goiás —, com uma distância muito pequena entre elas, então tem uma localização bem privilegiada. Porém, o tênis ainda não tem um desenvolvimento muito grande em Anápolis. A cidade já teve grandes atletas, inclusive tivemos alguns atletas que foram profissionais, que são daqui de Anápolis; porém, a cidade não tinha uma organização na questão do circuito de tênis, a gente não tem grandes torneios, a gente não tem circuito ainda. Não temos grandes oportunidades para os tenistas daqui. E a ideia da In Tennis é justamente modificar esse cenário, a gente quer profissionalizar o tênis, principalmente o ensino do esporte, e com isso trazer também uma organização com relação a torneios, circuito. Quem sabe trazer um profissionalismo também nessa parte de torneio.

Então, a facilidade que a gente encontrou é que Anápolis, por ser uma cidade que teve um crescimento grande, tem muitas pessoas com estudo que moram aqui, tem grandes empresários, são pessoas que conhecem o esporte, têm muito interesse em praticar e em trazer os filhos para praticarem o tênis, que é um esporte muito bom. E a dificuldade é que a gente ainda não tem um circuito de tênis, um torneio, não tem algo assim que traga um pouco mais de motivação para as crianças na hora de treinar, competir. Mas isso a gente quer mudar, a gente quer buscar mudança e quer trazer esse avanço também nessa parte de organização.


E, quanto às aulas, aqui em Anápolis a gente tem professores de tênis, mas todos trabalhando de forma autônoma, então não tem nenhum clube e não tem nenhuma academia, não tinha nada aqui com uma organização de aula. Se alguém quisesse praticar o tênis aqui em Anápolis, tinha que procurar, mesmo que fosse dentro de um clube, mas procurar um professor específico e tentar combinar com ele os horários de aula. A gente não tinha essa integração entre os professores, as aulas aconteciam de uma forma bem individual, e a In Tennis está mudando bastante esse cenário. Está gerando inclusive um certo desconforto entre os professores, que estavam acostumados a trabalhar de uma forma, digamos assim, menos planejada, eles faziam aula de uma forma bem clássica, com trios e aulas individuais, e a chegada da In Tennis mudou bastante esse cenário — então, até para a concorrência dos professores isso foi legal, porque a gente viu os professores se preocupando agora em se aprimorar, estudar e modificar um pouco a forma de ensinar, porque realmente a proposta que a Tênis+ e a In Tennis trouxeram para Anápolis vai trazer grandes mudanças no ensino, na prática do esporte. Acho que esse é o ponto que a gente tem que frisar bastante.

As aulas de vocês são voltadas para crianças a partir de 4 anos. Por que esse foco? E como vocês enxergam a importância do tênis na formação infantil?

Sim, nosso foco maior, hoje, são as crianças porque a gente acredita que, para que a gente tenha bons jogadores, até mesmo jogadores profissionais no futuro, a gente precisa trabalhar primeiro a base, as crianças. Então, hoje, o nosso maior foco realmente é trabalhar com as crianças porque aqui em Anápolis, principalmente, a gente não tinha esse trabalho especializado em crianças. Nós somos a primeira escola de tênis com esse trabalho especializado, com uma estrutura organizada, com planejamento de aula, de modo que a gente consegue ter uma progressão para a criança e conseguimos trabalhar desde o início da atividade de tênis — e não só a questão do esporte, do desenvolvimento esportivo da criança, mas também a questão do desenvolvimento social.

A gente acredita que o tênis é um esporte que traz muitos benefícios para a criança porque a ensina a vencer as suas dificuldades, a se conhecer melhor, conhecer o seu corpo, trabalhar a sua mente, então o tênis traz uma disciplina para a criança e a sociabiliza bem. A gente acha que o esporte ensinado dessa forma, como a Tênis+ propõe, como a gente buscou fazendo os cursos da Trans-Faire — no caso do tênis, a gente entende que, quando a atividade esportiva é bem ensinada, com motivação, com outras crianças, sempre tendo a diversão, é uma atividade prazerosa e que vai trazer a criança para o mundo do esporte. A criança vai sentir vontade de permanecer — o que é mais importante —, não há só uma vontade de querer jogar, mas de continuar no esporte, porque a criança vai se sentir bem aqui, ela vai se sentir motivada com as brincadeiras, com as outras crianças e, dessa forma, ela vai aprendendo tudo o que o esporte tem para ensinar, que é a questão social, questão comportamental. É um esporte que ajuda a criança a tomar decisões, a assumir seus riscos, saber que, para ela continuar jogando, ela vai ter que ter uma disciplina.


Então acho que essa é a principal razão pela qual a gente gosta e procura trabalhar com as crianças, buscando realmente esse crescimento, essa progressão, então a gente acredita que precisamos fazer um trabalho muito bem feito na base para criar essa criança no futuro, para que ela possa ter a chance, a oportunidade de jogar bem tanto na vida profissional quanto por satisfação pessoal. Às vezes, a criança não quer ser uma tenista profissional, mas ela vai ter o esporte na vida como uma atividade saudável, uma atividade prazerosa, e ela vai querer sempre continuar na atividade esportiva, no tênis, e fazer novas amizades e ter grandes desafios pela frente, então essa é a razão principal para a gente ter o foco nas crianças.

 

Finalmente, quais são os objetivos da In Tennis para 2017 e além?

Atualmente, nós temos uma média de cinquenta a sessenta crianças, e temos mais uns quarenta adultos que já estão fazendo aula conosco. A gente está com muita procura e muita degustação para crianças e esse número deve crescer muito nesses primeiros meses antes de fechar o semestre, então acreditamos que a gente consiga fechar o semestre beirando cem alunos, essa é a nossa meta, fechar o primeiro semestre com uns cem alunos no total, mas, atualmente, nós devemos ter uma média de setenta, oitenta alunos.

A nossa meta para 2017 é conseguir primeiramente chegar aos duzentos alunos, a gente quer ter esse crescimento até o final do ano, fechando o ano com pelo menos duzentos alunos inscritos e matriculados para que a gente possa ter uma boa base, uma base bem larga de crianças e adultos. Em 2018, vamos iniciar um trabalho de direcionamento para essas crianças, para que aqueles que têm um destaque maior possam partir para um lado mais competitivo e para que aqueles que não têm essa vontade de ir para um lado mais competitivo possam ter o seu desenvolvimento no tênis social.


Mas a meta principal é atingir duzentas pessoas em 2017, duzentas crianças, e no final do ano também ser reconhecida como a melhor escola de tênis de Anápolis, a melhor academia, com o trabalho mais bem preparado, digamos assim, ter esse reconhecimento da população anapolina para que, no futuro, de 2018 em diante, a gente possa ter uma projeção ainda maior dessas crianças nos circuitos nacional, regional de tênis, competitivo, e começar a lançar novos nomes nesses torneios de crianças que saem daqui de Anápolis. Então a In Tennis está por trás desse desenvolvimento. Acho que essa é a nossa maior meta para 2017. De 2018 em diante, a gente vai ter muita meta para pensar ainda, mas a nossa principal meta com certeza é esta, ter um atendimento de qualidade e que a In Tennis seja um instituto de excelência, acho que esse é o nosso principal objetivo.

Posted in Tênis+ em Destaque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *