Competências emocionais trabalhadas na prática do tênis: estabelecimentos de objetivos

Você já pensou em como estabelecer os seus objetivos, ou de seus alunos/atletas no decorrer da carreira no tênis? O objetivo deste texto é orientá-lo, de uma maneira simples e prática, a encontrar o propósito do seu tempo de dedicação ao esporte, ao longo do desenvolvimento do tenista.

O primeiro elemento que precisamos analisar para iniciar o processo de “estabelecimento de objetivos” é o momento do tenista. Durante o desenvolvimento do tênis, o indivíduo passa por etapas graduais em termos de dificuldades e exigências, que modelam e refinam o seu comportamento como praticante da modalidade. Cada etapa possui sua ênfase e os elementos apropriados que merecem maior atenção, tanto na perspectiva do tenista como na perspectiva da equipe interdisciplinar e, principalmente, da família.

A unidade de medida básica para obtermos referências do momento do tenista é a idade. Na literatura, inúmeros autores, de diferentes abordagens, estudam o desenvolvimento humano e as fases desse desenvolvimento. Bijou (1995), um autor da abordagem da Análise do Comportamento, caracteriza as fases do desenvolvimento humano por meio do aprendizado progressivo do organismo, do nascimento ao falecimento, ao longo do tempo e das experiências a que somos expostos nas diferentes fases do tempo da vida. Para o autor, “O desenvolvimento psicológico é caracterizado pelas progressivas mudanças nas interações comportamentais entre o indivíduo e as pessoas, objetos e eventos do seu ambiente” (Bijou, 1995, p. 12).

Enfatizando o desenvolvimento da criança como produto da integração das suas evoluções físicas e psicológicas com as habilidades adquiridas a cada ano de vida, interagindo e aprendendo nos ambientes em que se comporta, é possível dizer que, ao longo das repetições dessas interações, suas consequências — produzidas nos ambientes em que ocorreram os comportamentos — selecionaram e modelaram o repertório, o qual é reproduzido e refinado a cada um dos eventos ocorridos durante o processo de evolução do indivíduo.

Com base nessa perspectiva, podemos associar o potencial de evolução progressivo da criança desde o nascimento. Nos primeiros anos de vida, a maturidade física e psicológica é compatível com repertórios primitivos (“chorar”, “sugar”, “contrair as mãos e os pés”, “engolir”, etc.). Alguns anos depois, a criança é capaz de repertórios mais complexos (“andar”, “correr”, “pegar”, “falar”, “pedir”, “imitar”, etc.). Tais habilidades, adquiridas de acordo com a idade da criança, podem ser associadas às habilidades de um tenista, desde o primeiro dia em que pegou na raquete.  Neste primeiro momento, acertar a bola era o objetivo a ser conquistado. No entanto, alguns anos depois, o tenista foi capaz de refinar as habilidades adquiridas e aprender novas, evoluindo o seu repertório comportamental na modalidade (“não errar”, “olhar na bola”, “diálogo positivo”, “dominar os pontos”, etc.). A partir da aquisição desse nível de habilidade, o tenista é capaz de estabelecer objetivos mais complexos e exigentes, como conquistar o seu primeiro torneio, por exemplo.

Analisando esse cenário, é possível perceber que integrar as capacidades físicas e psicológicas da criança, harmonizando-as com as exigências e expectativas esperadas dela no seu momento como tenista é o caminho para estabelecer objetivos possíveis, motivantes, coerentes e, principalmente, saudáveis para a idade da criança, adolescente ou adulto. A partir dessa referência, é possível prever, manipular e planejar o nível de dificuldade dos treinos, as competições, a exigência na cobrança, a maneira de interagir e ensinar e, principalmente, as expectativas dos treinadores, familiares e da própria criança com o momento respectivos objetivos.

Para autoavaliar a coerência entre o momento do tenista e os seus objetivos e guiar os leitores no estabelecimento de objetivos no tênis, responda e reflita sobre:

  1. Quais são as minhas capacidades técnicasfísicas e psicológicas?
  2. Como posso melhorar e refinar essas habilidades?
  3. Quais são minhas metas técnicasfísicas e psicológicas no tênis em curto (2 meses), médio (6 meses) e longo(12 meses) prazo?
  4. Em quais dias e horários eu me dedico em função desses objetivos?
  5. Como está a integração das pessoas (treinadores, família, amigos, etc.), estrutura (materiais, treinamento, alimentação, sono, descanso, escola, etc.) e eventos (amistosos, torneios, viagens, pré-temporadas, etc.) que participam e influenciam na conquista desses objetivos?

Lembre-se sempre de respeitar os limites do outro e de si mesmo, e lembre-se que o principal é concentrar a atenção e ficar sob controle dos indicadores fisiológicos do corpo (dopamina, adrenalina, respiração, batimentos cardíacos, etc.) e sociais (amigos, risadas, contatos, reconhecimento, etc.), que são variáveis que aumentam a probabilidade de ocorrência de comportamentos relacionados a alegria, diversão e prazer durante a prática do tênis, o que motiva cada vez mais a fluidez do seu desempenho na quadra.

REFERÊNCIA

BIJOU, S. Introduction. In: Behavior Analysis of Child Development. 2. ed. Reno, NV, USA: Context, 1995, p. 11-19.

Posted in Geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *